CFW Agência de Internet
O crescimento do e-commerce no Brasil
08/4/2013

O cenário do e-commerce no Brasil não poderia ser melhor, o faturamento das lojas virtuais cresce com números animadores e temos novas empresas entrando neste mercado diariamente.

O número de pessoas comprando pela internet  cresceu cerca de 25% em relação a 2011 (Fonte: E-bit), e faturou R$ 10,2 bilhões  de reais no 1° semestre de 2012. São quase 30 milhões de pedidos e 5,5 milhões de novos consumidores.

Os produtos mais vendidos continuam sendo os Eletrodomésticos com (13%), Saúde, Beleza e Medicamentos com (13%) e Moda e Acessórios com 11%. O destaque fica por conta da categoria de Moda e Acessórios, que está em amplo crescimento e já se firma como uma forte categoria de vendas.

e-commerce

Se você pensa em investir em e-commerce fique atento a algumas tendências:

Social Commerce: cada vez mais as pessoas passam boa parte do seu tempo nas redes sociais. É importante pensar em estar presente nestes canais e principalmente gerar conteúdo relevante sobre seu produto ou serviço.

Foco em dispositivos móveis: Com os smartphones e tablets se tornando mais acessíveis, um mar de possibilidades se abre para o aumento do número de consumidores que irão efetuar compras diretamente de seus aparelhos. Talvez o fato de que as pessoas usem esses dispositivos em momentos que estão em um estado de espírito mais relaxado, como quando estão viajando ou à noite em casa, seja o estimulante para a popularização das compras.

Showrooming: Com mais smartphones por aí, o hábito de analisar um produto na loja física para depois comprá-lo online – também conhecido como “showrooming” – tende a ganhar força. Dessa forma, o usuário pode comparar os preços em tempo real

Navegação e atendimento ainda mais personalizado: No que diz respeito à usabilidade podemos destacar ainda como tendência do um grau maior de customização nas lojas virtuais, não apenas no que diz respeito à navegação como também da comunicação com os usuários. Técnicas de venda como Cross Selling (venda cruzada), e-mail marketing e ações nas mídias sociais tenderão a ser cada vez mais customizadas, levando em consideração o histórico do visitante da loja.

Maior presença do poder público na fiscalização: O comércio eletrônico ganha cada vez mais relevância no cotidiano do brasileiro e isso tem chamado atenção dos órgãos públicos de defesa do consumidor. O poder público deverá criar mecanismos mais eficazes para evitar o abuso por parte de lojas virtuais, a começar pela aprovação de novas medidas no próprio Código de Defesa do Consumidor, já em análise pelo congresso nacional.

O Planejamento e construção de um bom e-commerce pode ser desafiador, mas a recompensa será um novo canal de vendas, maior relacionamento com os seus clientes e lucro para seu negócio.

Artigo escrito para a Revista ACIG – Guarapuava em 2013

newsletter
Quer receber as novidades e os posts de nosso blog em seu email? Cadastre-se!
tags